Como o bloco de notas digital é capaz de salvar o seu negócio

Qual o seu grau tecnológico? Você se considera uma pessoa totalmente digital ou apenas segue algumas tendências para não ficar preso no passado?

Nós sabemos o quão fabuloso é recordar algumas lembranças do passado, sendo que em alguns casos, se fecharmos nossos olhos por um instante, é como se víssemos a cena outra vez diante de nossos olhos, e isso não tem qualquer conexão com idade ou período, mas sim, com o tempo de qualidade que foi adquirido no passado – considerando que o passado, pode ser algo que aconteceu a um minuto atrás, certo?

Estendendo um pouco mais esta questão do passado, é comum que muitas pessoas possuam itens de muitos anos atrás, como uma simbologia de “guardar lembranças de um dado período” ou até mesmo para eternizar momentos especiais. 

Isso para a questão pessoal é extraordinário, porque possibilita que por mais que o tempo passe, as lembranças permaneçam intactas e em alguns casos, possam ser comtempladas com a presença de objetos.

Acredito que você já notou que o passado será algo recorrente nesta matéria, certo? Isso porque, hoje, nosso objetivo é te mostrar como passado, presente e futuro caminhão lado a lado, todos os dias, com uma sinergia que só a raça humana é capaz de explicar.

Todavia, o grande problema nesta questão de passado/presente e futuro, está quando profissionais de distintos setores, realizam a aplicação das mesmas metodologias de muitos anos atrás, em um mercado que cresce e evolui todos os dias – afinal, não se engane, todos os mercados evoluem de alguma forma.

O que gostaríamos de dizer aqui é que não existe problema algum em aplicar práticas de décadas atrás, isso porque, muitas pessoas tendem a pensar “se deram certo no passado, porque não dariam certo nos dias atuais?”

Este pensamento é mais comum do que se pode imaginar, e está tudo bem, de fato, existe índices lógicos para este pensamento, entretanto, vamos pensar novamente no contexto desta frase e refletirmos nas novas possibilidades de cada mercado.

Acompanhe nosso raciocínio, se algo deu certo no passado, sem dúvida estava adequado com o tempo decorrente daquele período, com as características que agradavam os consumidores potenciais de determinada época, e não se engane, este período pode ser de 10 anos atrás ou de somente um ano; afinal, o mercado está em constante evolução, assim como a exigência dos consumidores que todos os dias, são expostos a centenas de milhares de novidades em vendas, comunicação e tecnologia.

Caminhando agora para a continuidade da frase de que “(…) porque não daria certo agora?”, a resposta é bem simples, isso porque, hoje os tempos são outros, o pensamento do consumidor mudou na mesma medida que a tecnologia se expandiu.

Dicas de como criar sinergia entre passado e presente nos negócios

Sabe qual o segredo para o sucesso de qualquer negócio? A busca continua por novas práticas, tendo sempre a certeza de que mais dia, menos dia, as coisas darão certo, e que se no meio do caminho, algo fugir do prumo, a melhor decisão a ser tomada, é a de parar, refletir e alinhar novamente as estratégias, se baseando de forma assertiva, no bom desenvolvimento estratégico e de planejamento.

O conceito de planejamento você já acompanhou aqui em nosso Blog diversas vezes, mas hoje, vamos te apontar alguns tipos de planejamentos que precisam urgentemente fazer parte de algumas de suas estratégias organizacionais, confira:

Planejamento Estratégico:

No topo da pirâmide se encontra o planejamento estratégico, sendo o mesmo, caracterizado por envolver esforços de toda ou até mesmo de boa parte da empresa/instituição. Este formato de planejamento tem os riscos como velhos conhecidos no ambiente de trabalho, uma vez que lidam com variáveis controláveis e incontroláveis.

No formato estratégico, o olhar está no futuro, visto que suas ações são desenvolvidas visando alguns anos a diante, criando desta forma, investimento precisos e com larga escala de investimentos.

Planejamento Tático:

Este formato de planejamento é derivado do estratégico, visto que desta forma, garantem um alinhamento entre as duas ações de negócios, envolvendo partes de uma empresa e não a mesma como um todo.

O planejamento estratégico cuida de recursos limitados e departamentais, tendo desta forma uma abrangência um pouco menor, tratando desta forma, de riscos limitados. O modelo estratégico é classificado como o elo entre planejamento operacional e planejamento estratégico.

Sua realização se deve a médio prazo, visto que suas atividades, podem levar um considerável tempo.            
Planejamento Operacionais:

Tudo começa no com um sendo classificado como aquela parte “braçal” e do dia a dia. Desta forma, os planos operacionais são derivados dos planos táticos, apresentado ainda, um risco menor, já que suas metodologias envolvem tarefas unitárias ou em conjunto limitado de pessoas.

Geralmente, o planejamento operacional possui facilidade de monitoração, e podem ser avaliados com muita praticidade. Uma das características deste setor operacional está no seu detalhamento e índices de abrangências reduzidos, envolvendo menores ações dentro de uma empresa.

Outro fator deste planejamento, está em seu curto prazo, isso porque, as tarefas apresentam taxa de rotatividade significativa, sendo assim, precisam ser realizadas de forma ágil.

Acompanhe agora está tabela e entenda melhor os períodos nos quais cada planejamento se baseia, desta forma, coligando com as informações listadas anteriormente, você entenderá com clareza em qual planejamento sua empresa/setor se encontram, e quais os próximos passos a serem tomados:

Salve o seu negócio com um reposicionamento de mercado

Se sua empresa caminha com as próprias pernas e são necessários alguns ajustes de vez em quando para melhor atender as necessidades de seus clientes, não existe motivos para pânico. Entretanto, caso o seu negócio esteja a beira de um colapso empresarial, a melhor alternativa é consiliar as experiências do passado, presente e futuro, as interligando com um bom planejamento (compreendendo qual a escala do seu negócio/setor) e por fim, pensar melhor a respeito de um reposicionamento de mercado/marca.

O chamado reposicionamento de uma empresa faz jus extamente ao seu significado, isso porque, a prática nada mais simboliza do que modificar a imagem que os seus consumidores possuem perante o seu negócio. Mas não se assuste, grandes e potentes empresas já promovam um reposicionamento de mercado quando estavam entrando na fase de declínio de um negócio e/ou ciclo de vida de um produto.

Quando você desenvolve um reposicionamento de marca no meio dos negócios, garante que sua empresa adquira uma nova forma de se comuicar com seus clientes, estando alinhada com as necessidadades dos mesmos.

Quando aplicar o reposicionamento de marca/mercado

No momento em que uma empresa se prepara para o reposicionamento de mercado, a mesma já está com as mangas dobradas para todas as mudanças necessárias e desafios que forem surgindo com o passar das etapas de reposicionamento.

E neste caso, a urgência pela mudança é advinda de divergentes fatores, como internos e externos.

Fatores internos são aqueles que comtemplam todo o contexto da sua empresa, como novas estratégias; já os fatores externos fazem menção a tudo aquilo que se encontra do lado de fora do seu negócio, mas que o afetam de forma eminente.

O reposicionamento é como uma reformulada na proposta de valor da marca, é como dizer “eu tenho tudo isso, e muito mais para te oferecer”. Mas agora, você deve estar se perguntando, como e por onde começar tudo isso?

Veja bem, para descobrir se o seu negócio de fato precisa de um reposicionamento, são necessários alguns estudos que sem dúvida seu time de marketing/planejamento e admistração realização com facilidade, além disso, entender todos os pontos que ligam e realizam a linha/trajetória do seu negócio é fundamental.

Sem grandes delongas, confira cinco etapas para começar o seu reposicionamento de marca/mercado:

1/5 Análise o cenário da sua empresa

Para isso, reuna todas as informações sobre o seu negócio, e comece se perguntando quais formas os fatores que levaram o seu negócio a sua situação atual e o que você espera com este reposicionamento. Pode parecer óbvio o que acabamos de citar, mas é que muitas empresas começam um reposicionamento sem saber ao certo os motivos.

2/5 Como seu público-alvo vai reagir a tudo isso

O tempo não para, as mudanças surgem a todo momento e o seu público capta todas elas. Por isso crie vinculos de proximidade para entender tudo aquilo que o seu consumidor deseja e essencialmente, precisa. Desta forma, o grau de confiabilidade de sua marca atingirá índices satisfatórios e seu reposicionamento apresentará resultados excepcionais. Para isso, existem muitas plataformas e ferramentas que visam o monitoramento de aceitação de sua marca.

3/5 Chegou o momento de reposicinar!!      

Antes de efetivamente reposicionar sua marca, são necessários algumas cautelas, sendo a primeira delas, análises e estudos aprofundados sobre o cenário e as novas propostas para o mercado. Além disso, todo seu time precisa estar ciente de tais mudanças, realizando ajustes e engajando a equipe para o novo.

4/5 Seu consumidor deseja saber que você mudou

Quando os fatores estiverem alinhados, chegou o momento de enfim, reposicionar, investindo seus esforços em estratégias de comunicação para que seu consumidor, entenda tudo que está acontecendo e sinta-se por dentro de tudo que está acontecendo – criando proximidade.

Isso porque, de nada adianta você ter todo esse trabalho se ninguém vai ficar sabendo o que aconteceu. A comunicação com seus consumidores é a peça chave para a estratégia de reposicionamento.

5/5 Lembre-se: monitorar é preciso em todas as circustâncias

Acreditamos que é do ser humano achar que quando algo está concluído, ele de fato, está finalizado – nada disso!!! Quando algo está terminado, ele na verdade, está só começando; isso porque, agora é o momento de dar continuidade com o mesmo grau de qualidade de quando a nova marca foi desenvolvida.

Neste momento, é crucial o monitoramento dos resultados obtidos, sendo que caso algo esteja fora do prumo e sem conexão com as métricas propostas, ainda dá tempo de alinha-lo de forma rápida.

Nós da Blob já fizemos um reposicionamento e os resultados foram os melhores

Caso você seja novo por aqui, talvez não saiba, mas antes, a Blob era Blob Web. Recentemente, após uma análise de otimização e cenário empresarial, o time de colaboradores estratégicos da empresa, sob orientações dos diretores da instituição, optaram em retirar o “WEB” e agora, somos apenas Blob.

Entenda que nosso objetivo era justamente nos desprender do web criando assim, vinculos com agências e agentes da comunicação.

Todavia, nossa inovação que vai além do nome, continua garantindo uma ferramenta exclusiva em todo país, a TPI – Tecnologia de Posicionamento Inteligente, colocando o seu negócio, com um excepcional planejamento estratégico e reformulado com excelência, além de oferecer a você um e-book completo, para que esteja na primeira página do Google em 60 dias.

Conquiste a primeira página